Nutrição

Jejum intermitente: entenda o que é e como funciona

Antes de ler esse artigo, tenho uma pergunta para você: Você tem interesse em demorar muito mais na cama? Quer saber o segredo dos atores pornô e deixar sua mulher LOUCA DE TESÃO? Clique aqui e assista ao vídeo.

Antes de começarmos a explicar sobre o jejum intermitente, você precisa saber que ele é uma das melhores estratégias e uma das armas mais poderosas para ajudar no emagrecimento. Pode ser a peça chave para mudar a sua forma de pensar, assim como a sua qualidade física e qualidade de vida.

Essa prática já era realizada a milhares de anos na história, e hoje veio para bater de frente com as teorias frenéticas de que quanto mais você come, é melhor. Mesmo assim, o jejum é praticado todos os dias, só que de forma discreta, no período em que estamos dormindo. O que as pessoas não sabem é que podemos quebrar o jejum a qualquer horário, não necessariamente ao acordar.

Veja também – Low Carb: alimentos permitidos

Sobre o jejum intermitente

O objetivo do jejum intermitente é mostrar como ele pode ser uma arma para aumentar ainda mais os seus resultados no emagrecimento, além de melhorar a saúde e o bem-estar. Sendo também um dos métodos mais prazerosos e simples do que se imagina.

Separamos abaixo alguns dos benefícios da prática do jejum intermitente:

  • Queima de gordura e não músculo.
  • Aumento da sensibilidade a insulina.
  • Controle estável da glicose no sangue
  • Reversão da diabetes tipo 2.
  • Mais energia e aumento do metabolismo basal.
  • Emagrecimento acelerado.
  • Sensação de bem-estar e saciedade.

Como o jejum intermitente acelera o emagrecimento

Para entender melhor como isso funciona, devemos aprender os estágios da fisiologia do jejum.

Estágio 1: assim que é iniciado o jejum, parte do organismo está queimando glicose exógena, que são os carboidratos que você come. Isso significa que você está queimando açúcar e não gordura.

Estágio 2 e 3: com o passar do tempo o glicogênio no seu corpo é o maior provedor de glicose, sendo que a maioria dos tecidos já está queimando glicose, só que nesse momento os músculos, células de gordura, o fígado, começam a queimar a gordura, o que é uma coisa muito boa.

Veja também – Abdoliance: conheça o creme masculino que promete acabar com a gordura localizada

Estágio 4: depois que os estoques de glicogênio se esgotam, o processo passa a se chamar de gluconeogêneses (criação de glicose pelos rins e fígado). Nessa etapa a glicose está sendo produzida pelo corpo, somente o cérebro, a medula renal e os glóbulos vermelhos usam o açúcar. Todo o resto está queimando gordura.

Estágio 5: o cérebro passa a queimar só gordura em forma de corpos cetônicos e os glóbulos vermelhos precisam de uma pequena quantidade de glicose.

Em resumo, a prática do jejum intermitente faz aos poucos o seu corpo trabalhar como uma máquina, que é capaz de queimar glicose e gorduras. O que permite isso é a prática correta do jejum.

Tipos mais comuns de jejum intermitente

Para cada tipo de jejum é preciso complementá-lo ao seu estilo de vida, sendo mais flexível em alguns casos e assim por diante. Mas os tipos mais comuns de jejuns são:

  • Jejum de 12 horas
  • Jejum de 16 horas
  • Jejum de 18 horas
  • Jejum de 24 horas