Saúde

Câncer de mama masculino: saiba mais sobre a doença

Câncer de mama masculino

Mesmo que homens não tenham seios como as mulheres, eles ainda possuem tecido o suficiente na região para gerar o risco de desenvolvimento de câncer de mama masculino.

O que se considera como as “mamas” de um homem adulto corresponde ao mesmo estado de desenvolvimento das mamas de uma menina antes da puberdade. No caso das meninas, este tecido desenvolve-se, com o tempo; para os homens, isso não ocorre.

Mesmo sem desenvolver-se muito, ainda trata-se do mesmo tipo de tecido, o que significa que – embora seja mais raro – há sérios riscos de desenvolvimento de câncer de mama masculino. Este câncer é basicamente o mesmo tipo desenvolvido no corpo de mulheres, embora com pequenas mudanças em relação aos locais específicos onde ele acontece em relação à mama.

Saiba mais sobre o câncer de mama masculino:

Quais homens formam o grupo de risco para a doença?

Até os 35 anos de idade, é bastante raro observar o desenvolvimento do câncer de mama masculino. As chances aumentam progressivamente à medida que o homem envelhece, até faixa etária onde ocorre a maior parte dos casos, que é aquela entre os sessenta e setenta anos de idade.

Há, ainda, outros fatores de risco que determinam maior probabilidade de desenvolvimento de câncer de mama masculino, que incluem:

  • Câncer de mama em um/uma parente próximo/próxima;
  • Histórico de exposição da região do peito à radiação;
  • Aumento anormal do tecido mamário (chamado de ginecomastia) em função de medicação, tratamento hormonal ou infecções, no passado;
  • Ter ingerido doses de estrogênio;
  • Doenças severas no fígado – em especial, a cirrose;
  • Doenças, lesões ou mau desenvolvimento dos testículos;

Qual é a gravidade do câncer de mama masculino?

No passado recente, era comum considerar que o câncer de mama masculino era mais grave do que o feminino, mas os estudos médicos mais recentes demonstram que não há diferenças significativas – o que não é um fator a ser comemorado.

Embora possa ser tratado com certa facilidade, se diagnosticado a tempo, o maior problema do câncer de mama masculino se dá em função de uma detecção muito mais tardia do que aquela que geralmente ocorre com as mulheres.

Isto ocorre por diversos fatores, como o fato de este tipo de câncer geralmente não estar entre as principais suspeitas médicas, além de questões culturais que, infelizmente, ainda são ligadas ao gênero do indivíduo – como é a falta da auto detecção caseira por toque, que é muito mais comumente realizado por mulheres do que por homens.

Além disso, a menor quantidade de tecido mamário masculino torna a detecção caseira mais difícil do que no caso das mulheres, além de a falta de tecido em torno do possível tumor tornar mais fácil que o problema se espalhe para outras áreas do corpo.

Sintomas do câncer de mama masculino

Os sintomas são muito semelhantes ao das mulheres. A maioria dos casos é descoberto com a identificação de algum tipo de caroço no peito. Neste caso, a ida rápida ao médico é essencial para evitar o desenvolvimento de sintomas mais graves, que podem indicar um tratamento muito mais complicado da condição.

Como o câncer de mama masculino é diagnosticado e tratado?

São utilizadas as mesmas técnicas para ambos os gêneros: exames físicos, mamografias e biópsias são utilizados para diagnosticar a condição. Da mesma forma, as mesmas ações são tomadas para tratar o problema:

Cirurgias, radiação, quimioterapia e terapias hormonais são os principais procedimentos para o tratamento do câncer de mama masculino. A principal diferença está na melhor resposta a tratamentos hormonais do que o que é observado no caso de mulheres – cerca de 90% das vezes em que a condição ocorre, a terapia hormonal é uma solução viável para os homens.

Leave a Comment